Com o surto da covid-19, muitas são as questões que relacionam as consultas de Medicina Dentária.
Dada a proximidade com que nós médicos dentistas trabalhamos do paciente, somos considerados profissionais de alto risco a nível de contágio.
Assim o Governo decretou, com efeito a partir do dia 16 de Março, a suspensão da actividade de Medicina Dentária, com excepção de situações de urgência. Este decreto vai vigorar por duas semanas e após este período será reavaliado.

Mas então que urgências são essas?

Abcesso dentário, dores intensas, traumatismo dentário, hemorragia oral, coroa ou ponte sobre implantes desapertada, fractura de prótese removível ou fixa, lesão suspeita de patologia maligna, fractura de restaurações com dor associada,  dor ou limitação súbita da abertura bucal, entre outros.

E como faço caso tenha algum destes sintomas?

O recomendado é entrar em contacto com a clínica por chamada telefónica, para que se possa realizar uma triagem prévia.

Nessa chamada deve referir se apresenta sintomas compatíveis com a covid-19, tais como febre (ainda que moderada), tosse, espirros, conjuntivite, diarreia, rinite, dificuldade em respirar, se esteve em viagem fora ou em zonas de foco da doença em Portugal, assim como se esteve em contacto com pessoas contagiadas ou suspeitas.

Em alguns casos de urgência nós, médicos dentistas, podemos realizar consulta com recurso a telemedicina para prescrição de fármacos, caso necessário.

A consulta de urgência decorrerá segundo as normas da Ordem dos Médicos Dentistas, para a máxima protecção tanto do médico dentista como do paciente.

Chamo também a atenção para o facto de que a infração deste despacho do Governo constitui crime de desobediência civil punida nos termos da Lei.

Alguma questão ou sintoma dentário que tenham estejam à vontade para me enviar mensagem!

Ajudarei sempre que conseguir, estamos cá uns para os outros.

Por vocês, por nós, por todos, vamos cumprir estas recomendações

Share This